sintomas de entorse no pé Daniel Baumfeld especialista em pé e tornozelo

Entenda quais são os sintomas de entorse

A entorse no pé é uma lesão comum que pode afetar qualquer pessoa, desde atletas até aqueles que realizam atividades diárias comuns. Com sintomas que variam em intensidade, a identificação precoce de uma entorse é crucial para um tratamento eficaz e uma recuperação completa. 

Ao entender os indicadores chave, você estará mais bem equipado para reconhecer, tratar e prevenir complicações associadas a essa lesão, promovendo assim uma recuperação mais rápida e eficiente. Vamos explorar os sintomas da entorse e aprender a diferenciar os sinais que demandam atenção, proporcionando o conhecimento necessário para lidar adequadamente com essa lesão comum.

Uma entorse refere-se a uma lesão nos ligamentos que ocorre quando essas estruturas, responsáveis por conectar os ossos em uma articulação, são esticadas além de seus limites normais. Essa condição é comum em várias articulações, incluindo tornozelos, joelhos e punhos, mas é frequentemente associada a entorses no tornozelo. As entorses são classificadas em graus, dependendo da gravidade da lesão nos ligamentos.

Quais os 3 tipos de entorse?

As entorses são geralmente classificadas em três tipos principais com base na gravidade da lesão nos ligamentos:

Entorse de Grau 1 (Leve):

Caracterizada por um estiramento leve dos ligamentos sem ruptura significativa.

Pode resultar em dor, inchaço leve e uma leve restrição de movimento.

A integridade geral dos ligamentos é preservada.

Entorse de Grau 2 (Moderada):

Envolve uma ruptura parcial dos ligamentos, indicando uma lesão moderada.

Geralmente causa dor mais intensa, inchaço significativo e uma limitação mais pronunciada na amplitude de movimento.

Pode haver instabilidade na articulação afetada devido à ruptura parcial dos ligamentos.

Entorse de Grau 3 (Grave):

Caracterizada por uma ruptura completa dos ligamentos, representando uma lesão grave.

Pode resultar em dor aguda, inchaço substancial e uma incapacidade funcional temporária.

A articulação pode se tornar instável devido à ausência de integridade nos ligamentos. 

As entorses são frequentemente causadas por movimentos bruscos, quedas ou torções, especialmente durante atividades esportivas ou ao caminhar em superfícies irregulares. O tornozelo é particularmente vulnerável a entorses devido à sua estrutura e à quantidade de peso que suporta.

Essa classificação em graus ajuda os profissionais de saúde a avaliar a extensão da lesão e a determinar a abordagem de tratamento adequada. O diagnóstico e tratamento precoces são essenciais para promover uma recuperação eficaz e reduzir o risco de complicações a longo prazo. Em casos mais graves, especialmente aqueles envolvendo entorses de Grau 3, pode ser necessário considerar a intervenção cirúrgica para reparar os ligamentos danificados.

Quando a entorse é considerada grave?

A decisão de realizar cirurgia para uma entorse depende de vários fatores, incluindo a gravidade da lesão, a localização da entorse e a resposta ao tratamento conservador. Nem todas as entorses exigem cirurgia; na verdade, a maioria das entorses pode ser tratada com métodos não cirúrgicos. No entanto, em alguns casos, a intervenção cirúrgica pode ser recomendada nas seguintes situações:

  • Lesões Graves: Em casos de entorses de grau 2 que não respondem ao tratamento conservador após 6 semanas ou em casos de entorses de Grau 3, caracterizadas por ruptura completa dos ligamentos, podem requerer cirurgia, especialmente se houver instabilidade significativa na articulação afetada.
  • Fracasso do Tratamento Conservador: Se o tratamento conservador, que inclui repouso, fisioterapia, imobilização e reabilitação, não resultar em melhora significativa ao longo do tempo, o médico pode considerar a opção cirúrgica.
  • Lesões Associadas: Entorses que ocorrem em conjunto com outras lesões, como fraturas, podem necessitar de cirurgia para corrigir e estabilizar as estruturas afetadas.
  • Recorrência Frequente: Se uma pessoa sofre entorses recorrentes e não responde adequadamente ao tratamento não cirúrgico, o médico pode considerar a cirurgia para fortalecer a área e prevenir futuras lesões.
  • Comprometimento Funcional Severo: Se a entorse resultar em comprometimento funcional significativo, como perda significativa de movimento ou incapacidade de realizar atividades normais, a cirurgia pode ser considerada.

A cirurgia para entorse geralmente é realizada para reparar os ligamentos rompidos. O tipo de cirurgia realizada depende da gravidade da lesão e da localização da lesão.

A recuperação da cirurgia de entorse geralmente leva de 6 a 12 meses. Durante a recuperação, é importante seguir as instruções do médico ou fisioterapeuta para garantir uma recuperação completa.

É fundamental que um profissional de saúde avalie cada caso individualmente para determinar a abordagem mais apropriada. A decisão de realizar cirurgia é baseada na avaliação completa da lesão, nos sintomas do paciente e nas metas de tratamento. O tratamento cirúrgico é geralmente reservado para casos mais graves, enquanto a maioria das entorses pode ser gerenciada com sucesso por meio de métodos não cirúrgicos.

Como saber se foi entorse ou luxação?

É muito comum que as pessoas se confundam, e achem que entorse e luxação são a mesma coisa. Mas não, entorse e luxação não são a mesma coisa. Uma entorse é uma lesão dos ligamentos, que são tecidos fibrosos que conectam os ossos de uma articulação. Uma luxação é uma lesão que ocorre quando um osso se move para fora de sua articulação normal.

Essa dúvida surge porque entorse e luxação são classificadas em 3 graus dependendo da gravidade da lesão. Mas cada uma tem sua peculiaridade:

Entorse:

  1. Grau 1: Os ligamentos são esticados, mas não rompidos.
  2. Grau 2: Os ligamentos são parcialmente rompidos.
  3. Grau 3: Os ligamentos estão totalmente rompidos.

Luxação:

  1. Grau 1: A articulação está ligeiramente deslocada, mas pode ser recolocada manualmente.
  2. Grau 2: A articulação está deslocada com mais gravidade, mas ainda pode ser recolocada manualmente.
  3. Grau 3: A articulação está deslocada e não pode ser recolocada manualmente.

Além disso, o que acaba confundindo os pacientes também, é a semelhança dos sintomas de uma entorse ou luxação que podem incluir:

  • Dor
  • Inchaço
  • Hematoma
  • Limitação de movimento
  • Instabilidade articular

Em alguns casos, pode haver também um som de “clique” ou “estalo” quando a lesão ocorre.

E para te ajudar a identificar cada uma,trouxemos algumas dicas para ajudar a diferenciar uma entorse de uma luxação:

  1. Entorse: A articulação geralmente está dolorida, mas ainda mantém sua forma normal.
  2. Luxação: A articulação geralmente está deformada e pode estar com um aspecto anormal.
  3. Entorse: A articulação geralmente pode ser movida, mas com dor.
  4. Luxação: A articulação geralmente não pode ser movida.

Se você suspeitar que sofreu uma entorse ou luxação, é importante procurar atendimento médico o mais rápido possível.

Como identificar uma entorse?

As entorses, lesões comuns nas articulações, podem ocorrer em diversos contextos, desde atividades esportivas até situações cotidianas. Identificar uma entorse de forma precoce é crucial para iniciar um tratamento adequado e promover uma recuperação mais eficaz.

Ao compreender os sinais característicos de uma entorse, você estará mais bem preparado para tomar as medidas necessárias, seja no contexto esportivo ou no dia a dia, promovendo ações assertivas para cuidar da saúde das suas articulações. Fique atento aos seguintes sinais:

Observe os sintomas

  1. Dor: A dor é o sintoma mais comum de uma entorse. A dor geralmente é aguda e latejante e pode piorar com o movimento.
  2. Inchaço: O inchaço é outro sintoma comum de uma entorse. O inchaço geralmente ocorre ao redor da articulação afetada e pode ser doloroso.
  3. Hematoma: Um hematoma é uma coleção de sangue sob a pele. Um hematoma pode ocorrer em torno de uma articulação afetada por uma entorse.
  4. Limitação de movimento: A limitação de movimento é um sinal de que a articulação pode estar danificada. Se você não consegue mover a articulação normalmente, pode ser um sinal de entorse.
  5. Instabilidade articular: A instabilidade articular é um sinal de que a articulação pode não estar bem presa. Se você sentir que a articulação está se movendo ou se soltando, pode ser um sinal de entorse.

Se você estiver sentindo um conjunto dos sintomas citados acima, é possível que você tenha sofrido uma entorse.

Aplique a regra RICE: 

RICE é uma sigla que significa:

  1. Repouso: É importante evitar atividades que causem dor na articulação.
  2. Gelo: O gelo ajuda a reduzir a dor e o inchaço.
  3. Compressão: A compressão ajuda a reduzir o inchaço.
  4. Elevação: A elevação ajuda a reduzir o inchaço.

Se você seguir a regra RICE, poderá ajudar a reduzir a dor e o inchaço e acelerar a recuperação da entorse.No entanto, se mesmo assim os sintomas não diminuírem, é importante procurar atendimento médico o mais rápido possível. O médico poderá diagnosticar a lesão corretamente e recomendar o tratamento adequado.

Quanto tempo dura uma entorse?

O tempo de recuperação de uma entorse varia de acordo com a gravidade da lesão. As entorses são classificadas em três graus, dependendo da extensão do dano aos ligamentos:

  1. Grau 1: Os ligamentos são esticados, mas não rompidos. A recuperação geralmente leva de 1 a 2 semanas.
  2. Grau 2: Os ligamentos são parcialmente rompidos. A recuperação geralmente leva de 2 a 6 semanas.
  3. Grau 3: Os ligamentos estão totalmente rompidos. A recuperação geralmente leva de 6 a 12 semanas.

Em casos mais graves, pode ser necessário tratamento cirúrgico. A recuperação após a cirurgia geralmente leva de 6 a 18 meses.

Além da gravidade da lesão, outros fatores que podem afetar o tempo de recuperação de uma entorse incluem:

  • Idade: As pessoas mais jovens geralmente se recuperam mais rapidamente do que as pessoas mais velhas.
  • Nível de condicionamento físico: As pessoas mais condicionadas fisicamente geralmente se recuperam mais rapidamente do que as pessoas menos condicionadas.
  • Cuidados com a lesão: O tratamento adequado e o cumprimento das instruções médicas podem ajudar a acelerar a recuperação.

Se você sofreu uma entorse, é importante seguir as instruções do seu médico ou fisioterapeuta para garantir uma recuperação completa.

O que acontece se não cuidar de uma entorse?

Se uma entorse não for adequadamente tratada e cuidada, podem surgir várias complicações e sequelas que afetam a saúde a longo prazo da articulação e do membro afetado. Algumas das possíveis consequências incluem:

  1. Instabilidade Articular: A falta de tratamento adequado pode resultar em uma recuperação inadequada dos ligamentos, levando a uma instabilidade crônica na articulação. Isso pode tornar a área propensa a entorses recorrentes.
  2. Dor Persistente: Se a entorse não for devidamente tratada, a dor pode se tornar crônica e persistente, mesmo após o período inicial de lesão.
  3. Inchaço Crônico: A presença contínua de inchaço pode indicar danos persistentes aos vasos sanguíneos e tecidos ao redor da articulação.
  4. Limitação de Movimento: A ausência de reabilitação e exercícios específicos de fortalecimento pode resultar em uma limitação permanente da amplitude de movimento da articulação.
  5. Desenvolvimento de Artrite Pós-traumática: Lesões articulares não tratadas podem contribuir para o desenvolvimento de artrite pós-traumática, uma condição que envolve a degeneração da cartilagem e inflamação nas articulações.
  6. Alterações na Marcha e Postura: A dor e a instabilidade podem afetar a forma como uma pessoa caminha e se posiciona, potencialmente levando a desequilíbrios posturais.
  7. Impacto nas Atividades Diárias: A incapacidade de tratar eficazmente uma entorse pode resultar em limitações nas atividades diárias, interferindo na qualidade de vida.
  8. Lesões Adicionais: Uma articulação enfraquecida e instável está mais suscetível a lesões subsequentes, aumentando o risco de complicações a longo prazo.

Por isso a intervenção precoce e o cuidado adequado são essenciais para minimizar as complicações e promover uma recuperação completa.

Conclusão

Em resumo, identificar e tratar precocemente uma entorse é crucial para prevenir complicações a longo prazo. Se negligenciada, a lesão pode resultar em instabilidade, dor persistente e limitações na amplitude de movimento. 

A busca por orientação médica e a adesão a um plano de tratamento personalizado são essenciais. Ao priorizar a recuperação adequada, é possível minimizar sequelas e garantir um retorno eficaz às atividades diárias, preservando a saúde das articulações a longo prazo. 

Se você sofreu uma entorse, ou está com suspeita de sintomas de entorse é importante seguir as instruções de um médico especialista em pé e tornozelo. Para garantir uma recuperação completa, conte com os cuidados do Dr. Daniel Baumfeld, entre em contato!