Fratura do calcâneo: como é feita a Cirurgia do calcâneo e qual tempo de recuperação? Dr. Daniel Buamfeld

Fratura do calcâneo: como é feita a cirurgia e qual tempo de recuperação?

Quando se trata de fraturas ósseas, a do calcâneo é uma das que exige atenção especial devido à sua complexidade e ao impacto significativo que pode ter na mobilidade e qualidade de vida de uma pessoa. A fratura do calcâneo, ou osso do calcanhar, pode ocorrer devido a acidentes, quedas ou lesões traumáticas e geralmente resulta em dor intensa e comprometimento da capacidade de andar.

Em muitos casos, a cirurgia do calcâneo é a abordagem recomendada para restaurar a anatomia e a função normais do pé. No entanto, o processo cirúrgico e o período de recuperação que se segue podem suscitar muitas perguntas e incertezas. Como é realizada a cirurgia do calcâneo? Quais são os desafios associados a essa intervenção? E, talvez ainda mais importante, qual é o tempo esperado de recuperação?

Pensando nisso trouxemos nesse conteúdo em detalhes a fratura do calcâneo, os métodos cirúrgicos comuns usados para tratá-la e o que os pacientes podem esperar durante o período de recuperação. A compreensão desse processo é fundamental para aqueles que enfrentam ou já enfrentaram essa lesão e desejam voltar à sua vida normal o mais rápido e eficazmente possível.

O que é fratura do calcâneo?

O calcâneo, localizado na parte posterior do pé, é o maior osso do tarso e desempenha um papel vital na locomoção e no suporte de peso do corpo. Uma fratura do calcâneo ocorre quando há uma quebra nesse osso e é uma condição séria que merece atenção devido à importância desse osso na anatomia e funcionalidade do pé.

Anatomia do calcâneo:

O calcâneo, também conhecido como osso do calcanhar, é uma estrutura robusta e densa que forma o calcanhar do pé. Ele é projetado para absorver e distribuir o peso corporal, permitindo a movimentação e a estabilidade do pé. A parte posterior do calcâneo apresenta uma projeção chamada de tuberosidade do calcâneo, que é essencial para a fixação de músculos e ligamentos que permitem os movimentos de flexão plantar e dorsiflexão do pé. Esses movimentos são cruciais para a caminhada e outras atividades diárias.

Como é feita a avaliação e o diagnóstico da fratura do calcâneo?

A avaliação e o diagnóstico de fraturas no calcâneo envolvem um processo cuidadoso realizado por profissionais de saúde. Normalmente, o médico começa com uma avaliação clínica para entender os sintomas do paciente e os eventos que levaram à lesão. Em seguida, são usados exames de imagem para confirmar o diagnóstico e avaliar a extensão da fratura. Citamos a seguir as etapas típicas envolvidas nesse processo:

Avaliação Clínica:

O médico realiza uma entrevista detalhada com o paciente para entender como a lesão ocorreu e os sintomas relatados, como dor intensa no calcanhar, inchaço, deformidade e dificuldade para suportar peso. 

É feita uma avaliação física do pé e do tornozelo para verificar deformidades, inchaço e sensibilidade na área.

Exames de Imagem:

Radiografias são frequentemente o primeiro exame de escolha. Radiografias em várias projeções, incluindo vistas de perfil, são essenciais para confirmar a fratura, determinar seu tipo e avaliar o realinhamento do calcâneo.

Em alguns casos, a tomografia computadorizada (TC) pode ser solicitada para obter imagens mais detalhadas e avaliar melhor as fraturas intra-articulares.

Classificação da Fratura:

As fraturas do calcâneo são classificadas com base na extensão da lesão e no envolvimento das articulações.

Uma classificação comum é a Classificação de Sanders, que divide as fraturas em tipos I, II, III e IV, com base na localização da fratura na articulação do tornozelo.

Avaliação de Lesões Adicionais:

Além de avaliar a fratura no calcâneo, o médico também verifica a presença de outras lesões ou danos em ossos adjacentes, tendões e ligamentos.

Diagnóstico Final:

Com base nos resultados dos exames clínicos e de imagem, o médico faz o diagnóstico final da fratura no calcâneo e determina a extensão da lesão.

É essencial procurar atendimento médico imediato após suspeitar de uma fratura no calcâneo. 

O diagnóstico adequado e precoce é crucial para determinar o tratamento adequado e evitar complicações no processo de cicatrização. O médico trabalhará em conjunto com o paciente para desenvolver um plano de tratamento personalizado com base na gravidade da fratura.

Indicações para Cirurgia do calcâneo

A cirurgia para tratar uma fratura no calcâneo é geralmente considerada quando a lesão é mais grave e não pode ser adequadamente tratada com métodos conservadores, como imobilização com gesso ou bota ortopédica. As indicações para cirurgia incluem:

Fraturas Deslocadas: 

Fraturas do calcâneo que estão significativamente desalinhadas, o que pode resultar em deformidades graves ou problemas na articulação do tornozelo. A cirurgia é frequentemente necessária para realinhar os fragmentos ósseos corretamente.

Fraturas Intra-articulares: 

Quando a fratura envolve a superfície articular do calcâneo, ou seja, a cartilagem que permite o movimento da articulação do tornozelo. Nestes casos, a cirurgia é frequentemente recomendada para restaurar a superfície da articulação e evitar futuras complicações.

Fraturas Compressivas Severas: 

Fraturas do calcâneo que resultam de impacto significativo, como quedas de altura, acidentes de carro ou quedas de objetos pesados. Essas fraturas podem ser graves e podem exigir intervenção cirúrgica para reduzir o risco de complicações, como deformidades e danos nas articulações.

Fraturas Abertas: 

Fraturas que rompem a pele ou têm feridas associadas. A cirurgia é frequentemente necessária para limpar a área da lesão, reduzir o risco de infecção e garantir a estabilidade do osso.

Falha do Tratamento Conservador: 

Em alguns casos, o tratamento conservador inicial com imobilização não é eficaz na promoção de uma cicatrização adequada. Se não houver melhora satisfatória com o tratamento conservador, o médico pode recomendar cirurgia.

Lesões Complexas: 

Fraturas do calcâneo que apresentam características complexas, como fraturas múltiplas, fragmentos soltos de osso ou envolvimento de estruturas vizinhas, como tendões ou ligamentos.

Comprometimento Funcional Grave: 

Quando a fratura do calcâneo resulta em uma incapacidade funcional significativa, como dificuldade severa de andar ou limitação na mobilidade do tornozelo. A cirurgia pode ser necessária para restaurar a função.

É importante ressaltar que a decisão de realizar uma cirurgia para tratar uma fratura no calcâneo é tomada após uma avaliação completa do paciente, incluindo exames clínicos e de imagem. 

Procedimento cirúrgico da fratura do calcâneo

A cirurgia para correção de fratura do calcâneo, que é o osso do calcanhar, geralmente é realizada em casos graves de fratura, onde a redução e estabilização não podem ser alcançadas de maneira satisfatória sem intervenção cirúrgica. Esse procedimento é conhecido como redução aberta e fixação interna (RAFI). Trouxemos aqui uma descrição detalhada do procedimento cirúrgico para que você se informe e fique mais tranquilo sobre o processo:

1. Anestesia: 

O paciente é submetido à anestesia geral ou regional para garantir que não sinta dor durante a cirurgia. O tipo de anestesia é determinado com base no estado de saúde do paciente e na preferência do cirurgião.

2. Posicionamento: 

O paciente é colocado em uma mesa cirúrgica, geralmente em decúbito ventral (de bruços) ou lateral, dependendo da abordagem cirúrgica.

3. Incisão: 

O cirurgião faz uma incisão na parte de trás do pé ou na lateral, permitindo acesso ao calcâneo. A escolha da localização da incisão depende da natureza da fratura. A incisão é cuidadosamente planejada para minimizar cicatrizes e preservar os tecidos moles circundantes.

4. Redução da Fratura: 

Com a visualização direta do calcâneo fraturado, o cirurgião realinha os fragmentos ósseos quebrados. Isso é conhecido como redução da fratura. É um passo crucial para restaurar a anatomia normal do osso.

5. Fixação Interna: 

Após a redução, o cirurgião utiliza implantes, como parafusos, placas ou hastes, para manter os fragmentos ósseos no lugar. Isso permite a cicatrização apropriada do osso.

6. Reparação dos Tecidos Moles: 

Além de lidar com a fratura óssea, o cirurgião também cuida dos tecidos moles, suturando as camadas da pele e outros tecidos.

7. Fechamento da Incisão: 

Após a conclusão do procedimento, a incisão é cuidadosamente fechada com suturas. Em alguns casos, pode ser colocado um curativo esterilizado sobre a incisão.

8. Recuperação: 

O paciente é encaminhado para a sala de recuperação, onde é monitorado quanto à resposta à cirurgia, dor e outros parâmetros vitais.

Após a cirurgia, o paciente é orientado sobre os cuidados pós-operatórios, que incluem repouso, mobilidade limitada e fisioterapia para promover a recuperação e a restauração da força e funcionalidade do pé. É importante lembrar que o sucesso da cirurgia depende de uma reabilitação adequada e do acompanhamento médico regular.

A cirurgia para fraturas no calcâneo é complexa e requer a experiência de um cirurgião ortopédico especializado nesse tipo de procedimento. A escolha do procedimento cirúrgico e dos implantes pode variar com base na gravidade da fratura e nas características individuais de cada paciente. É essencial que o paciente discuta detalhes específicos com o cirurgião antes da cirurgia.

Exercícios de fortalecimento pós-cirurgico da fratura do calcâneo

Após uma cirurgia de fratura no calcâneo, a reabilitação é essencial para fortalecer os músculos e ligamentos do tornozelo, restaurar a mobilidade e prevenir complicações. No entanto, os exercícios devem ser realizados com supervisão de um fisioterapeuta ou profissional de saúde. Aqui estão algumas sugestões de exercícios que podem ser parte do plano de reabilitação:

Exercício de Alongamento do Tornozelo:

  1. Sente-se com a perna estendida.
  2. Use uma faixa elástica ou uma toalha para envolver a parte frontal do pé.
  3. Mantenha a faixa ou toalha e suavemente puxe o pé para trás em direção à canela.
  4. Mantenha essa posição por 15-30 segundos.
  5. Repita 3-5 vezes em cada pé.

Alfabeto com o Pé:

  1. Sente-se com a perna estendida.
  2. Escreva o alfabeto no ar com o pé, movendo o tornozelo para criar as letras.
  3. Faça isso lentamente e com controle.
  4. Repita o alfabeto duas vezes em cada pé.

Exercício de Mobilidade do Tornozelo:

  1. Sente-se com a perna estendida.
  2. Gire o tornozelo em círculos, tanto no sentido horário quanto anti-horário.
  3. Faça 10-15 rotações em cada direção, depois troque de pé.

Fortalecimento da Panturrilha com Banda Elástica:

  1. Sente-se em uma cadeira com a perna estendida e uma banda elástica ao redor do antepé.
  2. Flexione o pé para cima (como se estivesse apontando o dedo para o teto) contra a resistência da banda.
  3. Faça 3 séries de 10-15 repetições em cada pé.

Caminhada do Calcanhar:

  1. Segure em uma superfície estável, como um balcão, com o peso nos dedos dos pés.
  2. Levante os dedos dos pés e caminhe de um lado para o outro, ficando nos calcanhares.
  3. Faça isso por 1-2 minutos.

Fortalecimento da Musculatura Intrínseca do Pé:

  1. Coloque um elástico largo na parte frontal de seus pés.
  2. Afaste os pés lentamente, mantendo a tensão no elástico.
  3. Em seguida, volte os pés para a posição inicial.
  4. Repita isso 10-15 vezes em cada pé.

É essencial que esses exercícios sejam realizados sob a orientação de um fisioterapeuta ou profissional de saúde, que pode ajustar o programa de acordo com as necessidades individuais do paciente. 

A reabilitação após uma cirurgia de fratura no calcâneo pode ser demorada, mas o fortalecimento adequado dos músculos e ligamentos é crucial para uma recuperação bem-sucedida e para evitar futuras complicações.

Dicas para prevenir futuras lesões no calcâneo

Para te ajudar a não passar por esse tipo de situação debilitante, trouxemos aqui um guia abrangente com dicas essenciais para evitar recorrências de fraturas do calcâneo. Essas orientações não apenas ajudarão aqueles que já enfrentaram esse problema, mas também servirão como um recurso valioso para qualquer pessoa que deseja proteger seus pés e tornozelos de lesões graves.

  1. Evite Sobrecarga: Evite ou limite atividades de alto impacto que possam sobrecarregar o calcâneo. Isso inclui pular de alturas elevadas ou praticar esportes de alto impacto, como basquete ou corrida em superfícies duras.
  2. Use Calçados Adequados: Escolha sapatos que ofereçam suporte adequado ao arco do pé e amortecimento para reduzir o estresse no calcâneo. Sapatos bem ajustados que se encaixam corretamente também são essenciais.
  3. Mantenha um Peso Saudável: O excesso de peso pode aumentar a pressão sobre o calcâneo. Manter um peso saudável através de uma dieta equilibrada e exercícios pode ajudar a prevenir o estresse adicional nos ossos e articulações.
  4. Exercícios de Fortalecimento: Continuar com os exercícios de fortalecimento do tornozelo e da panturrilha recomendados pelo fisioterapeuta pode ajudar a manter a musculatura em boa forma e estabilizar a articulação.
  5. Superfícies de Treinamento: Se você pratica esportes ou atividades físicas, escolha superfícies de treinamento adequadas. Superfícies mais macias, como grama ou saibro, absorvem melhor o impacto do que superfícies duras, como concreto.
  6. Descanso Adequado: Certifique-se de dar ao seu corpo tempo para se recuperar entre atividades de alto impacto. O descanso é fundamental para evitar lesões por sobrecarga.
  7. Aquecimento e Alongamento: Sempre aqueça antes de exercitar e faça alongamentos específicos para o tornozelo e os músculos da panturrilha. Isso ajuda a aumentar a flexibilidade e reduzir o risco de lesões.
  8. Acompanhamento Médico: Se você sentir dor persistente ou desconforto no calcâneo, é importante procurar atendimento médico imediatamente. Às vezes, os problemas de saúde subjacentes podem contribuir para o enfraquecimento dos ossos.
  9. Fisioterapia Contínua: Manter um programa de fisioterapia pode ajudar a garantir que os músculos e articulações permaneçam fortes e estáveis, reduzindo o risco de recorrências.

Discuta com seu médico ou fisioterapeuta sobre um programa de prevenção personalizado com base nas suas necessidades específicas.

Conclusão sobre fratura do calcâneo

Em resumo, as fraturas no calcâneo, embora possam ser desafiadoras, podem ser tratadas com sucesso com diagnóstico adequado, procedimentos cirúrgicos eficazes e reabilitação cuidadosa. A prevenção de recorrências é fundamental e pode ser alcançada por meio de uma série de medidas, como escolher calçados adequados, manter um peso saudável e continuar com exercícios de fortalecimento.

É importante ressaltar que a busca de orientação médica é essencial para o tratamento e a prevenção de lesões no calcâneo. Lembre-se, a saúde óssea é fundamental para uma vida plena, e com os cuidados adequados, você pode se recuperar completamente de uma fratura no calcâneo e evitar problemas futuros. 

Não hesite em entrar em contato com o especialista em pé e tornozelo Dr. Daniel Baumfeld para obter orientações personalizadas e cuidados de saúde que atendam às suas necessidades específicas. Entre em contato!